Sugira, critique, participe, contribua, toque uma, apareça!

mulheresqbebem@gmail.com

4 de out de 2010

Onde até a eleição é motivo para piada

Com mais de 1 milhão e 300 mil votos, Tiririca foi a sensação da eleição de 2010. Uma pequena prova de que para o brasileiro, a política se tornou uma verdadeira palhaçada, afinal, é muito engraçado eleger alguém que usou como mote “Vote no Tiririca, pior do que tá não fica”, ou “Você sabe o que um deputado federal faz? Nem eu. Mas vote em mim, que eu te conto”. Confesso que fiquei um tanto quanto chocada quando presenciei audaciosa propaganda.

Anedotas à parte, talvez eu não devesse crucificar com tamanho fervor o pobre do Francisco Everardo Oliveira Silva, vulgo Tiririca. Vamos ser francos, se ele colocasse sua formosa face sem todos aqueles adoráveis adornos que compõem seu personagem, o engraçadinho jamais teria atingindo o ápice do sucesso eleitoral.

Devemos, então, saudar os responsáveis pelo seu marketing político, que tiveram a bela sacada de pensar como a afável camada popular, que transformou a oportunidade de exercer a cidadania com responsabilidade em um verdadeiro circo. Afinal, quem sabe o Tiririca esteja até bem intencionado, não tendo como único objetivo mamar nas suculentas e gorduchas tetas do governo?

Ora pipocas! Não vamos, assim sendo, esculhambar os métodos utilizados para atingir o altruísta intento, que seria buscar melhorias para a população. Vamos, sim, esculhambar o fato de o método ter sido previamente estudado, colocado em prática e, por fim, ter dado certo. Palmas para os brilhantes estudiosos que exercem com primor a arte da propaganda eleitoral, e para os eruditos eleitores que assim a concebem.

Fichar o quê?
Agora, o que não dá pra engolir de jeito nenhum, o que não tem desculpa, é a ocupação do primeiríssimo lugar no pódio fluminense pelo nosso digníssimo ex-governador, o Garotinho. Esse adorável senhor, que está com o nome mais sujo do que pau de galinheiro, tem uma extensa lista de processos nas costas, envolvendo casos de mão leve nas contas dos cofres públicos.

E o que é que o eleitor faz com essa singela informação? Manda às favas e vota nele de novo. Sensacional. Para essa eleição, o projeto ficha limpa só serviu mesmo para que seus padrinhos se vangloriassem do belo intento, arrecadando votos para si.

O mais engraçado de tudo é presenciar a atribuição social comum de que “é tudo culpa desse bando de ladrão safado”. Não, meu caro, a culpa é sua mesmo. A culpa é sua e da sua ignorância, pois você não sabe votar, não se dá ao trabalho de desenvolver sua consciência crítica e ainda enche a boca para dizer que odeia política. Muito bem disse Bertolt Brecht, “O pior analfabeto é o analfabeto político”.

Só de pensar que em Brasília o Roriz foi para o segundo turno, sinto cosquinhas na periquita. Para quem não sabe, o simpático rapazote está devendo à justiça eleitoral bem mais do que eu devo ao Banco Real. Eu deveria largar essa vida falida de jornalista e me candidatar a um cargo desses qualquer. Cara, não aguento com isso.

Apesar de evitar em qualquer circunstância a insanidade de desmerecer a importância do MEU voto, vou me manter imersa no ceticismo em que me encontro. E me desculpem a franqueza arrogante, mas estabeleço aqui uma máxima: povo burro tem mais é que comer capim mesmo. Eu, hein.

7 comentários:

  1. Essa festa profana da democracia foi como estender uma lona de circo, uma piada! AFF...

    ResponderExcluir
  2. Concordo.
    Votem em pinã!!! Mas sem o coladinha...

    Ass: Eu que ti mamu como um bezerro desmamado.

    ResponderExcluir
  3. Tiririca é a prova que o que aparece na telinha tá eleito...
    O povo , infelizmente, desistiu de raciocinar e se embala no produto cultural duvidável que a mídia nos enfia goela abaixo.
    Garotinho e sua esposa, o casal falcatrua, há muito deviam ter sido banidos da política carioca e brasileira.
    Mas, por aqui no RS, a coisa não é muito diferente. Elegeram o ex-goleiro do Grêmio, um cantor de hip-hop, vários pastores evangélicos, o cara que apresenta a previsão do tempo e por aí vai...
    Saudades da luta contra a Ditadura. Lá todos pareciam conscientes...

    Beijão.

    Ricardo Mainieri
    www.mainieri.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Jogada de marketing sim, mas do partido que conseguiu votos pra sua legenda, e elegeu com isso 3 outros deputados, e pasme..os 3 envolvidos em esquemas de corrupção como o mensalão.Tiririca foi isca, foi rede joga em alto mar de eleição, e nós peixes otários caímos direitinho....hehehe

    Voto de protesto é voto NUlO...isso sim.

    Gostando de conhecer o espaço de vocês, já vou me avisinhando que é pra garantir voltar mais vezes.

    Bjos

    Erikah

    ResponderExcluir

Áhh, que fofo você comentar!!!