Sugira, critique, participe, contribua, toque uma, apareça!

mulheresqbebem@gmail.com

28 de mai de 2011

Tempo, tempo, tempo




Eu até tinha um nome, uma idade e uma profissão. Minha altura e meu peso eram importantes. Trabalhava e estudava. Orgulho da mamãe.

Hoje, sou louca, perdida, confusa. Me apaixono, me jogo. Ganho, perco. Sinto raiva, tristeza, mágoa. Com o coração dilacerado, violentado.

Tenho o gosto de boca, de corpo. Cheiro de suor. Passado. Presente. Futuro.

Lembranças.

Perdi chances na vida, experiências que nunca mais terei oportunidade de viver.

Acredito que nunca é tarde. Quero experimentar o que mais tiver pela frente.

Abro mente, corpo e coração.

Gosto de tudo, de todos.

Às vezes, esqueço do tempo e de como era antes. Um tempo passado que não interessa. Esfacelado, líquido.

Fico olhando para o nada e há uma satisfação em tudo.

Quero mais. Mais de tudo, do que vivi e do que não vivi.

Em casa, na rua. Na cama, na cozinha ou no banheiro. Até na imaginação.

2 comentários:

Áhh, que fofo você comentar!!!