Sugira, critique, participe, contribua, toque uma, apareça!

mulheresqbebem@gmail.com

30 de jul de 2010

Merda: todo mundo faz

Momento desabafo no ciberespaço

Pois muito bem. Todo mundo erra nessa vida. Mas esse total estado de desespero em que me encontro, por querer sair do trabalho atual, acaba de me fazer cometer um puta de um erro – não tem outra explicação, eu preciso acreditar nisso. Veja bem, sou muito comprometida com o que faço, não sou de deixar passar deslizes... Por isso mesmo estou em estado de choque. Essa minha de hoje foi demais, vou ter que relatar aqui.

Em primeiro lugar, sou uma jornalista responsável pela assessoria de comunicação da instituição em que presto serviço. Leia-se assessora de comunicação por: escolher pautas, apurar, redigir, revisar e editar (SOZINHA) um jornal mensal e uma revista trimestral; atualizar o site diariamente, com clippings, matérias, informações institucionais e publicação e edição de fotos (SOZINHA); fotografar com equipamento profissional, sem contar a edição e o tratamento das fotos (SOZINHA); fora a linha “assessora de imprensa” que eu tenho que fazer de vez em quando.

Pois vou contar agora a grande merda que fiz hoje. Dediquei uma página inteira do jornal (formato tablóide) para uma matéria de denúncia contra uma empresa aérea. Apuração: ok. Redação: ok. Revisão... Bem, estaria tudo perfeito, se não fosse um pequenino detalhe. Eu simplesmente – por motivos que estão distantes de minha compreensão humana – TROQUEI o nome da empresa. É, é isso mesmo, eu troqueeeei o nome da empresa.

Preciso citar as complicações jurídicas que um “singelo equívoco” como esse poderia causar para minha querida contratante? Bem, o jornal que ia ser distribuído em TODO O BRASIL simplesmente foi recolhido e vai ser RODADO DE NOVO, com essa correçãozinha. Nem é necessário dizer que minha chefe pretende com todas as forças da alma dela comer o meu fígado, já mole devido ao excesso de líquido etílico ingerido nos finais de semana.

Enfim... Freud explicaria que esse foi só um aviso do meu subconsciente: “toma vergonha na cara e vai buscar um trabalho que realmente te deixe feliz”. Para minha sorte, eu já comecei a procurar há duas semanas. Mas, pelo amoooooooooor, se alguém quiser me oferecer qualquer coisa - em que eu trabalhe escrevendo, que é o que mais amo – me avise. Aceito com muito agrado, só para sair desse ostracismo em que me encontro nesse momento. É é isso mesmo, estou usando o blog para um “momentinho jabá”.

Ah, e é claro, prometo não fazer tamanha merda novamente. Afinal, trabalho aqui há três anos, não vamos me crucificar pelo meu primeiro – e gigante – lapso.

5 comentários:

  1. Moça dedico-lhe votos de que a harmonia reine em sua vida! Bjus e BOm fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Quem sabe foi um lapso que Freud explica.
    Quando a gente está descontente, por mais controle que se tenha(sou um virginiano), a verdade que reside no mais escuro de nós, teima em vir à luz.
    Conheço de perto essa questão de house-organ. Meu irmão e minha ex-cunhada editam jornais de bairro e de empresas e vivem correndo atrás de anunciantes e de matérias nesta, mesma, alucinada corrida: reportagem, foto, diagramação, envio do material para gráfica, publicação e distribuição
    Não é o melhor dos mundos, mesmo.
    Porém a coisa está feia para o pessoal da imprensa. Aí no Rio, o JB foi para o espaço e o que mais se tem é publicação meia-boca.
    Mas, continue tentando. Talento deu pra ver que você tem!

    Beijão.

    Ricardo Mainieri

    ResponderExcluir
  3. caraleo porra, puta que pariu!
    tá fudida

    ResponderExcluir
  4. nada de observações negativas... continuo trabalhando :P

    ResponderExcluir

Áhh, que fofo você comentar!!!